16 de março de 2013

Inerte

Imagem Harding Meyer
Procuro ver à frente
Mesmo de olhos abertos 
Não consigo enxergar as saídas.
O rancor cega-me.

Tudo parece cinza
Como um céu nublado
Anunciando que chegando
Vem a tempestade

Na pele um arrepio gélido
Estremece as emoções
São os pensamentos que na mente
Anunciam a confusão.

Medo percorre meu íntimo
Magoa pulsa nas veias
Dos olhos dilatam-se lembranças
Escapam sonhos das lágrimas

A confusão toma conta
Angústia. Desespero. 
Preciso fugir, sair de mim. 
Fico paralisada. Inerte,imóvel.

Já não tenho forças,
Chego a repudiar cada sonho.
Esquivando-me da vida 
Que tornou-se amarga.

Preciso sair. Acordar do pesadelo.
Falta-me coragem pra seguir
Excedem desejos contrários
Postergo as decisões. Exalto o fim.

Imagem Google

6 comentários:

  1. Lindo poema .
    Amor em cada palavra formando doces versos de amor.
    Lindo e abençoado seja seu Domingo.
    Uma semana na graça e na paz de Jesus,
    Evanir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Evanir!! Muito feliz que tenha gostado!

      Excluir
  2. muito lindo! seguindo você, obrigado pela visita e comentário!

    ResponderExcluir