11 de abril de 2013

Fazendo falta


"Hoje realmente eu não sei o que eu estou fazendo aqui... Mas é que tenho saudade e esse é o cantinho onde eu sempre sei que o posso encontrar. Por isso passeio por aqui repetidas vezes, fazendo algumas bagunças, deixando “avisos” de que estou presente... Debalde, nada tem acontecido e a saudade só aumenta... E corroí por que junto a ela vem um turbilhão de sentimentos... É medo, incertezas, muitas dúvidas... Desejos, daquelas vontades persistentes mesmo. É raiva desse coração teimoso que insiste em judiar, dessa mente insana que o faz nela presente mesmo eu não sentindo seu calor, ou vendo seus olhos, ou sabendo de seus passos. Não sei o que faço. A vontade é de tirá-lo daqui de vez pra não voltar mais a doer como doe agora... Mas e as forças? Esvaíram-se todas de mim... Estou aqui mais uma vez em vão. Ele resolveu-se por ignorar-me, talvez castigo decorrente desse meu querer sem sentido ou dessa minha síndrome de possessão repentina. Só queria que ele estivesse como sempre acompanhando meu dia e me deixando fazer presente também no seu... Já que não o posso expulsar daqui de vez, embora eu repita que no momento era tudo que eu queria..., ou talvez não, queria mesmo era tê-lo ao lado e poder dividir as palavras que escrevo, porém diferente de agora, entre sorrisos e suspiros... Tudo bem, logo o dia acaba e isso também passa (será?), espero que sim..."

5 comentários:

  1. Oi, minha linda, parabéns pelo blog!
    Em seu versos tristes encontro tantas verdades que sentirmos mediante ao abandono... Muito bem descritos por sinal.

    ResponderExcluir