23 de janeiro de 2014

Minha 'DomTena'

Vó Tena
                . 

Hoje cheia de lembranças que agora são saudades, daquela velha senhora que na percepção nunca envelheceu ou foi mais nova, era sempre a mesma: Vó! E o tempo passou, ensinou o que devia, cobrou e trouxe até o que não merecíamos. Assim mesmo, sem nos sacudir ou gritar por atenção, passou quase que imperceptível. Entre estórias, frases repetidas, bordões, bênçãos, chás e orações, ficou algo ainda na memória, um pouquinho do que marcou pra cada um, como os ‘Sam Pai’ quase sussurrados na hora da saída, ou as mãos fortes que espremiam o lenço enquanto os olhos ainda estavam cerrados, na proteção constante que obrigava um agasalho, vinho, azul e branco. Na voz risonha que dizia a seu modo ‘foge da frente menina’, ou na humildade na qual se pedia a leitura de algo que já tinha de cor.

Ficou ainda na lembrança os melhores sabores de infância, doce de banana, goiaba e laranja, o bolo de abobora, de macarrão, biscoito de polvilho e pastel de angu, água de pote e mão lavada, suco de acerola, água de romã, quiabo, cará da terra... familia reunida... o gosto amargo do chá de bardana que ainda faz parte do cardápio, ficaram detalhes dos dedos frágeis mergulhados em álcool com arnica, do cabelo dividido ao meio, grampos expostos, unhas pontudas, o botão colorido, fuxico, a peça de quebra-cabeça, o cheiro doce, o modo de caminhar, a perseverança, horas marcadas com risquinhos e a voz firme que ensinava e repreendia. Na mente ainda fresca ficou a frase “lê aquele texto pra ela Nana”,

Em nós ficou a base do que somos hoje, entre um jeito e outro, ficaram manias todas dela, os papeis guardados, fotos espalhadas, retalhos contando histórias, curas vindas de ervas, crenças, medos e esperanças. Uma lembrança solta em cada canto. Uma vida em recordações.    

E no final, ela ainda me podia ouvir a chamar de ‘DomTena’, mas a um tempo já não a ouvia dizer "Nana", egoísmo da nossa parte ainda a querer aqui? A comunicação é uma via de mão dupla. Mas quem disse que ela não se comunicava? Sim, expressava com os olhos que quase obrigava as visitas a sentarem, com a lágrima que escorria de emoção ao ouvir uma música, com as gargalhadas que aprovavam as besteiras que lhe eram ditas. E o choro que deixavam claro que já não era mais a mesma.

Mas, o que é a morte? Pra ela foi um descanso necessário, estava morrendo aos pouquinhos e isso sim doía muito. Ela tinha ciência do que acontecia a sua volta, estava consciente de que dali pra frente ou vinha logo o novo mundo, ou ela o esperaria dormindo na morte, assim como aquele a quem amou e devidiu uma vida. E foi como aconteceu. Agora ela está na lembrança de cada um que amou, em especial na de Jeová, que assim como nos, já tem saudades dela (Jó 14). Que de agora pra frente possamos também fazer um bom nome como o Seu e manter viva em nós a mesma esperança de estarmos outra vez juntos.


Saudosa de cada memória viva nessas palavras escritas, finalizo aqui, ainda cheia de lembranças e detalhes dela, que faz de mim rica dessa que tanto amei.


Vó Tena

5 comentários:


  1. Querida amiga Nayane !!!!!!

    Passando por aqui para deixar o meu
    Abraço e carinho, ao mesmo tempo,
    Deleitar-me com a beleza de seu Blogue
    E conteúdos, como também, desejar-lhe
    Um fim de semana maravilhoso, com
    Muita Paz, Luz, Amor e felicidade em
    Seu coração!
    Linda a foto, mostrando o seu carinho
    e amor por seus familiares.
    Beijos de luz !!!!!!!!

    POETA CIGANO – 25/01/2014

    http://carlosrimolo.blogspot.com
    “Poesias do Poeta Cigano”

    ResponderExcluir
  2. Foram anos de caminhada.
    retirando espinhos ou pequenas pedras
    com cuidado eu fui lapidando todas
    transformando pedras em joias de amizades.
    Deixei na minha postagem um mimo se
    gostar ficarei feliz em ver no seu blog.
    Um abençoado final de semana beijos
    e meu eterno agradecimento por caminhar continuar
    seguindo minha viagem isso se chama amor e fidelidade.
    Eu sempre vou contar com sua amizade.
    Quando for preciso estarei sempre aqui para ter força,
    coragem para continuar minha viagem.
    Abraços fraternos ..Evanir..

    ResponderExcluir
  3. Sim, é um elo bom. Um de meus avôs morreu antes de eu nascer. Mas, o outro, conheci bastante. As duas avós, as conheci. Uma ainda está viva, com 97 anos de idade.

    ResponderExcluir
  4. Querida amiga Nayane !!!!!!

    Passando por aqui para deixar o meu,
    Abraço e carinho e, ao mesmo tempo,
    Deleitar-me com a beleza de seu Blog e
    Conteúdos. Perdoa-me a demora na visita,
    Tenho estado muito atarefado, inclusive,
    Até pensei em deixar meu Blog um pouco
    De lado por essa falta de tempo. Tenho
    Cerca de 1.400 amigos, e não seria justo,
    Deixá-los de visitar. Vou tentar equacionar,
    Isso até onde puder. Perdoa-me.
    Também, vim desejar-lhe um lindo dia e,
    Maravilhosa semana, Com muita paz, amor e,
    Felicidade em seu coração. É o que lhe desejo!

    Beijos de luz !!!!!!!!

    POETA CIGANO – 02/03/2015

    http://centelhaspoeticas.blogspot.com

    “Meus Sonhos e Devaneios Poéticos”




    Obs: Se ainda não pegou, no lado direito
    Do meu Blogue, no “Presentes para os amigos”,
    Tem um mimo para seu belíssimo Blogue.
    “ESTE BLOGUE VALE OURO”. Basta
    Copiá-lo (Capturá-lo) para seus arquivos ,
    Salvá-lo e colá-lo em seu Blogue. Você é uma
    Amiga especial e me sentiria honrado

    ResponderExcluir
  5. Belíssimas palavras a quem tanto marcou sua vida! Agora descansa o sono dos justos e assim tanto melhor, pois sofrer ninguém merece ainda mais uma pessoa tão especial!
    Lindo seu cantinho e adorei visita-lo. Voltarei com certeza.
    Big abraço.

    ResponderExcluir